Vida real

Itália: capítulo X – as dificuldades que não são ditas sobre o reconhecimento da cidadania italiana

Data: 24/04/18 | Autor: Paula Nader |

Quem me segue sabe que estou no processo do reconhecimento da cidadania italiana. Antes de dar início a esse processo, pesquisei tudo o que podia na internet e agora estou tendo ajuda do advogado Alessandro Vianello que é muito íntegro e que vem esclarecendo muitos boatos que li nessa pesquisa. Ele me alertou sobre algumas dificuldades que enfrentarei nesse processo.

cidadania italiana

NO BRASIL

As informações na internet não estão completas

Existem por aí diversos sites que ensinam como reconhecer a cidadania na Itália por conta própria. Pode reparar que grande parte deles é de assessorias, isto é, de empresas ou pessoas que realizam um serviço de consultoria para quem quer fazer o processo na Itália. Cobram um valor X, geralmente mais de 2 mil euros, e fazem tudo para o cliente, desde organização de documentos, aluguel da casa, contato com o comune e afins. A pessoa quase não precisa fazer muita coisa, pois a assessoria faz tudo. Isso é bem vantajoso se você:

  • Tem bastante dinheiro
  • Não fala a língua e não quer/não pode aprender
  • Não tem muito tempo disponível

Porém, se está fazendo o processo todo sozinho, muitas vezes esses sites são uma armadilha. Eles colocam informações pela metade, fazem mistério, não são objetivos e não contam minuciosamente como é o processo. Eles estão querendo vender o peixe e não seria vantajoso entregar o ouro de cara. Eles falam mais ou menos como é para apenas mostrar a complexidade do negócio. Portanto, não tenha sites de assessorias como única fonte.

Não é que não estão falando a verdade, mas não estão falando TODA a verdade, entende? Na hora de se informar, procure outras fontes. O grupo no Facebook Cidadania Italiana – Área Livre é uma das melhores fontes de informação. Hoje já existe até o site desse grupo do Facebook, o que facilita muita coisa também!

A busca pelos documentos pode levar meses e você pode se frustrar

Sobre os documentos brasileiros

Hoje, com a Apostila de Haia as coisas ficaram um pouco mais fáceis nessa primeira etapa, mas mesmo assim é notório que os cartórios brasileiros ainda são enrolados para lidar com a busca dos documentos. Tudo começa no contato com eles: muitos não respondem email, não conseguem dar informações precisas, fazem confusão em relação a valores, podem não trem boa vontade (por mais que seja um serviço pago) além de cada um cobrar um valor.

Se os documentos da sua família estão em cartórios diferentes, em cidades diferentes, tudo piora e às vezes só se resolve indo pessoalmente. Então esse é um passo que requer tempo e paciência. Não adianta fazer isso já com passagem marcada para ir para a Itália.

Sobre os documentos italianos

Além dos documentos brasileiros, é necessário encontrar os documentos do antenato italiano (a pessoa da sua família que nasceu na Itália é que te transmite o direito de cidadania: avô, bisavô, etc) e esses documentos você precisa conseguir pela Itália, através de email, carta ou às vezes indo pessoalmente no comune. Essa fase é um problema para muita gente, já que muitas pessoas têm antenatos distantes, como no meu caso, e fica ainda mais difícil rastrear os passos da pessoa.

Quando não se tem ideia do paradeiro desses documentos, é necessário entrar em contato com diversos comuni da região de onde a pessoa veio. No caso de documentos muito antigos, o contato será com as igrejas. Bom, pense o quão difícil é localizar um documento de 1800 e pouco. Há também a opção de entrar em contato com o patronato da sua cidade no Brasil, pois podem ajudar nesse contato com os comuni. Tem um post aqui no blog que pode te ajudar. Clique aqui.

Este post não é para gerar desânimo, mas para que você saiba das dificuldades do processo do reconhecimento da cidadania italiana.

compartilhe este post